VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Construindo PONTES em vez de MUROS...

 * Sonhei com bifanas e uns tangos a acompanhar, deleitados numa esplanada.

 * Sonhei em sempre construir pontes ao longo da vida em vez de muros...


* Sonhei que as pessoas faziam por estimar as suas AMIZADES como se de OURO se tratasse...

 * Sonhei que os nossos caminhos tornavam-se não raras vezes imprevisíveis, sinuosos e desaconselhados aos mais incautos...

* Sonhei que o HOMEM viveria sempre em harmonia com o meio ambiente...

* Sonhei que seria provavelmente uma minúscula gota no meio deste vasto e infinito OCEANO verde...

* Hoje, sonhei que me levantaria cedo da cama para desfrutar de um trilho, bastando para isso agarrar na minha bicicleta de montanha para ficar rodeado de vários AMIGOS...
*Sonhei que não deixaria nunca morrer a CRIANÇA que existe dentro de mim....
* Sonhei que tudo isto não passava de um SONHO...
* Sonhei e acabei por adormecer...

Sousa "Trepador"

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Passeio das Luzes de Natal


As atletas do BIKE17ECO, agora até já pedalam com ciclistas do Pro Tour, vencedores de etapas da Volta à França.

Refiro-me ao Rui Costa, vencedor da 8ª Etapa do Tour 2011, que este ano também participou no passeio de Natal do ECOBIKE.



Passeio que este ano, foi organizado sob o lema da solidariedade, em parceria com a AJUDARIS.
Mais fotos e respectiva crónica do ECOBIKE: Carta ao Pai Natal


Pedro "Trilhos"

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O BTT e a FELICIDADE

Uma visão singular e experiente desse grande ícone do panorama do BTT Nacional, Sr. António Malvar, sobre as várias formas possíveis e imaginárias de Felicidade no BTT. O que move os Betetistas?
Para que essa CRIANÇA, Omnipresente em todos nós, nunca esmoreça!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O CAMINHO

«Peregrinar é um acto de Fé. É um Caminho e como tal pressupõe um itinerário, mas não se esgota nele. Tem que se lhe associar uma intenção e um objectivo, que alimentam a motivação e despertam a busca interior, promovendo assim o enriquecimento espiritual e cultural...» (em : Associação dos Amigos do Caminho Português de Santiago).


**** «... Não se escolhe uma vida Pai! Vive-se uma...» . THE WAY.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O Renascer de um Puro Betetista. SCOTT GENIUS 20! O que poderia ser?

**Nestes últimos tempos, a minha vida de Puro Betetista de bicicleta rígida não andava lá muito católica, como diz e bem o povo.
** Ele era quedas atrás de quedas....
**Era a maldita nova tecnologia que me dava constante problemas....

** Ele era furos atrás de furos...
**Era o ouvir constante de alguns chouriços para não me atrasar e comprar uma bike decente....

**Em alguns momentos mais desesperados, ponderei emigrar para outras paragens mais sossegadas, local onde Eu e a minha Menina teríamos algum descanso....

**Como sabeis, nestas fases de maior ansiedade, deixamo-nos cair na tentação fácil, foram tempos duros pelos quais passei....
**Mas depois da tempestade vem a bonança, qual fénix renascida, consegui ressurgir das profundas cinzas do Inferno, trazendo o meu merecido e conquistado prémio!


**Por fim, já sinto os meus companheiros de roda a levar com o pó da minha montada, já me vejo a conquistar muitos trilhos antes difíceis de vencer, a sentir em pleno a adrenalina das mais perigosas e inacessíveis descidas, de poder desfrutar enfim do mais Puro BTT.
**Quanto a TI, minha companheira de muitas batalhas, despeço-me calorosamente, sabendo que não é um adeus definitivo mas antes um até já, o teu descanso por agora será bem merecido!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

LIBERDADE...RECORDAÇÕES...EVOLUÇÃO...RESPEITO...FLUIDEZ...BEM-ESTAR..

***Terapia aconselhada: maximizar o ecrã, simplesmente e livremente saborear e percorrer o caminho sem amarras.
***Resultados expectáveis: níveis de dopamina a aumentar exponencialmente, súbito e incontrolável desejo em retomar as rédeas da sua "fera", entre outros...

VerBlog: DeBicicletaNoPorto

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Douro Bike Race - Epic Men - WE WERE READY

Olá pessoal!
Como já era do vosso conhecimento, Eu e o Trepador lá fomos para terras de Amarante para mais uma aventura. E que aventura!
Aqui fica um pequeno relato da nossa experiência.

A prova começou na sexta-feira (dia 16) mas nós deslocámo-nos para Amarante no dia anterior, onde pudemos verificar que a organização ainda trabalhava arduamente para que nada falhasse.

Últimos preparativos do bike park feitos num dos campos de ténis do Complexo do Rio (base da DBR).
  
A primeira etapa teve início pelas 11H00 de sexta-feira (dia 16), no centro de Amarante. 45 Km, 1300 metros de acumulado e muito calor!

Aqui podem ver o Trepador a curtir um single-track!

Apesar de ser a etapa mais curta, não foi nada fácil pois coisa que não faltou foram as nossas amigas "paredes". A carunchice aliada ao imenso calor também não ajudou em nada. Esta foto demonstra a nossa passagem pela serra da Aboboreira. 

Segunda etapa: 88 Kms e 2000 metros de acumulado. A mais longa das três. Esperava-se um grande empeno!

Aqui o artista que queria atravessar o rio a pedalar mas...

A dupla do Bike17Eco em acção!

A terceira etapa reservava-nos cerca de 63 Kms e 1700 m de acumulado. Neste dia já acusávamos o desgaste das duas etapas anteriores e a serra do Marão não nos iria facilitar a vida.

Passagem por uma aldeia na serra do Marão. Perdoem-me mas já não me lembro do nome da aldeia.

Um dos belos caminhos pelo qual passamos!

Três dias de prova, mais de 200 Kms e cerca de 5000 metros de acumulado de subidas. Como já tinha dito o meu amigo Trepador, um empeno colossal!
Mas apesar desse empeno foi uma experiência espectacular pois pudemos desfrutar de mais uns belos trilhos do nosso Portugal. Com uma organização 5* em que nada falhou, a DBR ficará na nossa memória para sempre certamente.

Pimenta "Saca Saca"

Fotos deste Passeio

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

"A nossa Viagem Espiritual" ao Douro Bike Race.

* Caros Familiares, Amigos e Amigas e Anónimos, despedimo-nos de vocês.
* Entendamo-nos, é possivel que seja um até breve e não um adeus definitivo. Mas Eu e o Pimenta "Saca Saca" tomamos a iniciativa de partir numa viagem espiritual, destinada aos Puros Betetistas, 3 a 4 dias, em Setembro, para um qualquer tranquilo, secreto e não muito longínquo  Retiro Espiritual denominado Dourobikerace.
* ** Já era sem tempo. Aprentiz Betetista que se preze, tem um dia de partir à procura da harmonia, da pura simbiose com a natureza, da solidariedade e da capacidade de sofrimento, em busca das respostas às suas muitas dúvidas. Talvez seja assim, não sei. Só sei que nos foi facultado um raro mapa da localização dessa Catedral, algures escondida. Penso que ficaremos a dormir no Pavilhão dos Aprentizes, em saco camas, durante os 3 dias da nossa iniciação. Disciplina a isso obriga. Não nos preocupa tal facto, até nos motiva ainda mais para o nosso desígnio.

**Disseram-nos também -alguns anónimos Betetistas Peregrinos - que ali descobriremos muitos segredos para o apuramento da técnica e motivação Betetista, percorrendo livremente Ilustres Serras, imponentes e majestosas e implacáveis. Amigos e Amigas , se for assim, a nossa tarefa não se vai adivinhar nada fácil. Mas concretizá-la será de belo efeito.

**Sabemos que vamos ter que meditar, madrugar, concentrar e treinar duro quando lá chegarmos. Para desfrutar no fim do treino. O cansaço e a dor expectáveis são o primeiro passo para a libertação total da alma. Já temos as nossas respectivas cábulas dos exercícios regulares ali ensinados há séculos.

*Dia 16 teremos que conquistar a a Serra da Aboboreira - 43km \ 1 200m de acumulado; no dia 17, a Serra do Alvão - 88km \ 2 000m de acumulado e, por fim, no Dia 18 teremos a Serra do Marão - 62km \ 1700m de acumulado.
** A nossa viagem será uma incógnita. Mas concerteza será muito proveitosa e enriquecedora. Temos conhecimento que alguns dos Grandes Mestres do BTT, nacional e mundial, já lá se encontram. Também muitos aprentizes Betetistas, oriundos dos mais variados países, nem sabemos por onde começar, ainda estão para vir beber a esta fonte. Quem sabe até se seremos todos recebidos pelos Excelentíssimos Monges - Mor daquele templo, apelidados de Joao Marinho e José Silva. Dizem que eles andam sempre muito ocupados, isolados nas maiores Serras, a meditar e a apurar as melhores Técnicas Betetistas.

**Sabem perfeitamente que temos bastante apreço por vocês. Depois da nossa partida, iremos dando notícias quando for possível. O regime do Aprentiz é bastante rigoroso. Espera-nos o inesperado e contamos com a vossa energia positiva como suporte. Não tememos a nobre missão que nos foi dada, antes pelo contrário. A vossa força far-se á sentir a cada momento. Desejamos e pensamos regressar deste magnífico templo com o nosso SER Betetista renovado e melhorado.
**Bem hajam.
 Sousa "Trepador" 

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A conquista da Ecopista do Dão.

***Foi-me dada a tremenda responsabilidade (mais uma vez culpa do Trepador) de escrever a crónica da nossa viagem pelo Dão, mais concretamente pela Ciclovia, a maior do país com 49 kms de extensão.
***Posso dizer-vos que, além do seu comprimento, esta ciclovia atravessa três municípios: Viseu, Tondela e Santa Comba Dão, concelhos estes que podem ser distinguidos através das diferentes cores que o pavimento vai tomando.

***Mas iniciemos a nossa crónica.
***Eram 7H10 quando me encontrei com o Sousa em Vila Nova de Gaia e nos deslocamos para a casa do Amorim, onde as tropas se reuniram. Será que algum deles imaginaria a aventura que este dia iria proporcionar?  Eu não, disso tenho a certeza. A viagem começa a 4 rodas, com uma pequena paragem para café e para o Mouteira se reforçar com um queque e segue até Viseu, altura em que as nossas feras são soltas no asfalto.
***Aproveito para informar que nesta altura já sou a feliz possuidora de um novo animal, tendo deixado o meu chaimite (agora peça de museu) em exposição, que é o único lugar onde deve estar.
***Passamos por lugares fantásticos e tivemos acesso a paisagens maravilhosas, sempre acompanhados pela antiga e agora desativada linha do comboio.  O facto de irmos de bicicleta facilita imenso a entrada nestes locais, proporcionando momentos inesquecíveis.

***Aproveitando cada recanto para um reforço alimentar e mais umas fotos aqui e ali, até porque o relógio do nosso amigo Mouteira tinha de ser imortalizado, os quilómetros lá se foram passando e com muitas dores e uns últimos 3 km de arrasar lá finalizamos a 1ª parte da viagem.
***Posso afirmar que esta fase só foi superada porque durante algum tempo tivemos o privilégio de sermos acompanhados pelo STIG,  piloto experiente que se juntou a nós (para quem tiver dúvidas temos provas).
***Em desabono desta bela ciclovia tenho a dizer que foi com algum desagrado que constatamos que a mesma, ao chegar a Santa Comba Dão, termina…..em lado nenhum.  Deparamo-nos com um descampado, como se a ciclovia estivesse inacabada. Esperemos que seja algo temporário.

***Já sentados no 1º café que encontramos, onde descansamos, comemos, bebemos, aproveitamos a sombra e imortalizamos o momento com mais umas fotos, comecei a ponderar se não seria melhor apanhar o comboio de volta a Viseu.  É que o corpinho já começava a dar sinais de estar mais para lá do que para cá. Pedi, pedi, pedi, mas os meus companheiros de viagem decidiram que a rapariga tinha de seguir até ao fim e assim foi. Com muitos pedidos de socorro, sempre rezingona, cheia de dores e empurrada durante vários kms, lá fui pedalando, pedalando, pedalando, até que vi a luz,  ou seja, o final da ciclovia, Viseu.Posso dizer que nunca gostei tanto de Viseu como naquele instante.
***Foi um dia fantástico, tudo perfeito, clima, companhia, paisagens e, no meu caso, o sentimento de superação. É impressionante como conseguimos ir mais além quando somos apoiados por companheiros de viagem como os que tive o prazer de ter. Por isso os meus mais sinceros agradecimentos a todos eles.
Sem grandes obstáculos, tirando uns furitos e os meus constantes pedidos de auxílio, a Ciclovia do Dão foi tomada pelo Amorim, o Sousa, o Mouteira, o Pedro, o Manuel e a Andreia.

***Como aspetos, não negativos, mas menos positivos apenas quero apontar a falta de pontos de água pelo caminho, o não aproveitamento das estações desativadas  e, como já referi, o facto da ciclovia não estar terminada.
Em jeito de conclusão, aconselho a todos que façam este percurso com um grupo de amigos,  onde a camaradagem, alegria e sentido de entreajuda seja tão grande como aquele que eu experienciei.

***Até ao próximo desafio!!!
*Andreia*
  Fotos deste Passeio