VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Voando sobre o Corno do Bico - A sã loucura

**Apesar dos nossos horários de trabalho serem totalmente diferentes, isso não impediu que nos juntássemos neste sábado para mais uma aventura. Desta vez éramos apenas 3 mas bons (Eu, o Trepador e o Fugas).
**Após a concentração na casa do Trepador, já debaixo de uma chuvinha jeitosa, começamos a conferenciar sobre qual trilho iriamos fazer, pois havia duas opções,  um em Paredes de Coura e outro em Ponte de Lima. Eu era a favor do trilho de Ponte de Lima, pois era de menor extensão (quanto menos Kms melhor) mas os meus caros amigos preferiram o de Paredes de Coura (cerca de 62 Km).
** Lá nos fizemos à estrada mas ao aproximarmo-nos de Ponte de Lima, o navegador de serviço começou a falhar e andamos ali um pouco perdidos, motivo pelo qual chegamos a Paredes de Coura a umas lindas horas (10H30). Após os preparativos e uma ida a um café para um reforço alimentar, iniciamos o percurso às 11H00, ainda com a companhia da nossa amiga chuva.
** Para não variar e como estava fresquinho, começamos logo a subir. A parte inicial foi feita por uma estrada que nos levou até ao Santuário de Nossa Senhora da Pena. Antes de chegarmos ao Santuário fizemos uma pequena paragem junto do Hospital Psiquiátrico mas não nos quiseram lá, por isso tivemos que seguir o nosso destino.
** Depois de contemplarmos as paisagens daquela zona através de um miradouro, lá seguimos mais um pouco por estrada até uma aldeia chamada Venade e aí entramos num trilho em terra. Mais à frente surgiu o primeiro momento apelidado por nós, de puro BTT. Nós bem procuramos o caminho mas nada, o GPS levava-nos para o meio dos picos e das pedras e ainda por cima era a subir.
** Por fim, lá encontrámos o caminho que nos levou a mais um alto (730 m), desta vez até à Capela de São Silvestre, mesmo junto a um parque eólico. 
** Ainda fizemos mais alguns Kms pelo trilho marcado no GPS mas a uma certa altura, o mesmo desviava para um caminho inexistente e então tivemos que arranjar uma alternativa. Claro está que a coisa não ia ser boa e então surgiu mais um célebre momento do tal puro BTT. Iniciamos a descida por um caminho onde a vegetação era tanta que nem dava para ver se havia buracos ou pedras, situação essa que levou o Trepador a brindar-nos com uma verdadeira cambalhota, felizmente sem quaisquer consequências (ainda tentei tirar uma foto ao moço a voar mas não fui a tempo. Eheh!)
Com tantos picos pelo meio surgiu o primeiro furo e logo na minha máquina (para não variar). Avaria resolvida, alcançamos mais uma estrada que nos levou até à localidade de Extremo.
** A partir daqui apanhamos uma verdadeira “pinga”. 5 Km sempre a subir, com zonas onde a inclinação atingia os 20% e com algum calor a ajudar. Atingimos o ponto mais alto do trilho (825 m).
** Com mais um parque eólico alcançado entramos num caminho mas mesmo a descer, esse caminho não nos facilitou nada, pois havia muitas partes em que as pedras soltas eram tantas e nos obrigava a fazê-las com as biclas à mão.
** Já na pequena localidade de São Miguel, encontramos um tasco e paramos para mais um reforço. Foi nessa altura que o Fugas reparou que tinha um pneu furado. Lá tivemos que ouvir o tão conhecido comentário do Trepador: “Vocês não põem tubeless, é o que dá!
** Como já estava a ficar um bocadinho tarde e o caruncho a denotar-se fortemente, a partir dali ainda seguimos um bocado pelo track mas chegamos a um ponto em que decidimos alterar o percurso e ir sempre por estrada até Paredes de Coura.  
Quando chegamos à EN101, o navegador de serviço ficou novamente baralhado e lá teve que ir o Trepador perguntar a um habitante daquela zona, qual o melhor sentido a percorrer. Quando o senhor nos diz que eram 20 Km até Paredes de Coura, quase que me dava um enfarte. A esta altura já tínhamos 50 Kms nas pernas. 
Concluindo esta parte, fizemos mais 25 Kms e não 20, dos quais 15 foram a subir. Quando chegamos ao carro estávamos de rastos, tínhamos percorrido 75 Kms. Que empeno!!! 
** O Fugas tinha um jantar de aniversário marcado e lembro-me, a uma certa altura, de o ouvir falar ao telemóvel a dizer que às 20H00/20H15 já estaria no restaurante. Pois isso! Chegámos a Ermesinde às 22H00 e a Sónia já fervia! Começar a pedalar às 11H00 é o que dá!
** Para terminar, deixo aqui o meu desagrado em relação ao trilho. O track em causa já deve ser muito antigo pois muitas partes do mesmo são autênticos “caminhos de cabras” e apenas se passa com a bicla à mão. A favorecer o dia, foi, mais uma vez, a sempre agradável companhia dos meus aventureiros amigos!

**Abraços e beijinhos!
  

Fotos deste Passeio

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Estudo do efeito das maratonas em atletas amadores

** A maioria de nós, Atletas amadores, participa ou já participou em múltiplas corridas épicas, travessias e maratonas de alta intensidade, extensas na sua quilometragem e de uma dureza extrema e fatigante. Momentos inesquecíveis em todos os seus aspetos..
** Eis As Questões: Até que ponto esses esforços tremendos não afetarão negativamente o nosso corpo? Não estaremos a prejudicar-nos e a ultrapassar o nosso próprio limite físico?
** São estas e outras lacunas na bibliografia científica atual que deram o mote para o investigador principal desse estudo, Miguel Ângelo Rego, nutricionista e mestre em saúde pública, estudante de Doutoramento em Atividade Física e Saúde na FADEUP, e adepto do BTT, avançar com esta investigação e tentar obter as respostas pertinentes, no sentido de um melhor aconselhamento sobre o treino, gestão do esforço, estratégias alimentares e hidratação adequadas. (Ver artigo completo da sua autoria na Bike Magazine deste mês).
** Desta forma, o Centro de Investigação em Atividade Física, Saúde e Lazer  tem realizado os estudos supra com múltiplos voluntários e que consistem, na prática, na avaliação da composição corporal, do consumo máximo de oxigénio e da força máxima dos membros inferiores.
**Ora bem, é do conhecimento geral que nós, no Bike17Eco, gostamos de baralhar ao máximo as  experiências científicas, por tal motivo deram-se como voluntários à força 3 atletas de reconhecido caruncho internacional, Pimenta, Sérgio e a minha pessoa, para participarem no dito estudo, servindo também de propósito para uma avaliação dos nossos parâmetros físicos, ou seja, qual o nível acentuado de salapismo acumulado até esta data.
** Para além do mais, a nossa participação reforça a importante componente didática, sobretudo
em que serve de alerta para as lesões desportivas e as mazelas desnecessárias, as quais repetidamente têm devastado o pelotão do Bike17Eco ( Do conhecimento geral os casos da  Desportivite e Francesinhite Aguda do Mouteira, a Nitrofuranite Alérgica-a-Subidas da Renata, SóniaEdite e Andreia, a Sonolite Pieirenta do Amorim, o Síndrome da Voadisposição Matinal  que aflige o Pedro, só para citar alguns casos de estudo académicos...).

** Atenção! O vídeo que se segue tem um conteúdo capaz de ferir a susceptibilidade de qualquer PESSOA que se preze, não sendo por isso aconselhável às pessoas mais sensíveis...




Ass. Sousa
Fotos deste Passeio

quinta-feira, 24 de maio de 2012

1º Passeio de BTT em Vila Viçosa


**No dia 29 de Abril realizou-se pela primeira vez o passeio de BTT em Vila Viçosa Desde já os  meus maiores agradecimentos aos meus amigos, Amorim, Mouteira e Sousa.
O nosso passeio iniciou e findou em Vila Viçosa “a minha santa terrinha” e percorreu as lindas margens e encostas do Rio Paiva de 3 concelhos diferentes: Arouca, Cinfães e Castelo de Paiva.
Contamos com cerca de 30 fortes e destemidos participantes, com a bela presença de alguns elementos femininos de renome, mas a verdade é que mal iniciou a prova aconteceu logo o primeiro de muitos percalços:  uma bicicleta presa numa rede que não havia jeito de querer sair!!!
**Seguidamente fomos em direção a S. Pedro (Travanca) e aí iniciamos uma descida vertiginosa  até ao Rio Paiva. Foi nesta parte do percurso que surgiram os primeiros problemas técnicos, como correntes partidas, mas estas foram solucionadas pelo nosso mecânico de serviço- Silva.  Também sucederam-se as primeiras quedas, a do nosso mecânico e a do Manuel António que por já se encontrar próximo da água tentou nadar em seco!!! Eu não faria melhor… Foi então necessário parar e contemplar a paisagem…
**Chega de descanso!  Deixamos o concelho de Cinfães e atravessamos a ponte de Melo  desconhecida por muitos daqueles que vivem naquela zona, depois foi sempre a subir até à Ladroeira (Castelo de Paiva). Com a subida lá vieram os problemas de uma dita pedaleira e em vez de parafusos levou pedras, pedrinhas e mais pedrinhas…!
**Quando chegamos ao cima da encosta, foi tempo de curar feridos, esticar pernitas, tirar fotos e molhar a boca!!! Passamos junto aos fornos de carvão um sítio diferente e sinistro! 
E se antes tínhamos subido estava a chegar o momento de descer em direção à.Espiunca (Arouca). Agora sim! Foi só desfrutar da vista, da água, da lama e dos objetos não identificados deixados no meio do caminho… “mais trabalho para o carro vassoura”.  Na Espiunca tivemos direito a experimentar a areia da praia fluvial…
 **Finalmente a última subida… até à Vila que é aldeia. O Rogério, o homem da pedaleira, foi rebocado pela mota vassoura, um furo levou o carro vassoura a confundir-se em relação aqueles que vinham realmente mais atrasados… depois de desfeitas as confusões, o nosso amigo Paulo ficou na companhia do carro vassoura, sendoincessantemente enganado por este pois “faltavam sempre três curvas para o final”.  É de salientar que o motorista de camiões não desistiu e chegou ao final, um bem haja para ele. E como o inesperado acontece quem diria que na meta ocorreriam mais dois “tralhos” de dois amigos que até as quedas partilham- Rui e Hugo.
**Após retirar as impurezas do corpo com água não muito quente e cara, era tempo de comidinha e paparoska! Á nossa espera no campo de paintball (local do almoço) estavam os homens do talho: o,    Eduardo e o Zé Manel (homem do volante) estes tinham preparado um delicioso porco no espeto.  O meu agradecimento para eles pois conseguiram com dificuldade saciar aquele “bando de esfomeados”…!
**Bem, como já se aperceberam chegou a hora dos agradecimentos: ao homem da mota vassoura- Nuno;  ao carro vassoura e família; aos participantes colegas de trabalho e elementos do fantástico grupo do Bike 17Eco; aos participantes de Souselo; aos poucos participantes de Vila Viçosa mas bons- Um Muito Obrigado…
**Não posso deixar de referir que depois dos escravos do trabalho terem deixado Vila Viçosa em direção ao Porto ainda houve tempo para uma tarde de pura diversão de paintball.

Ps: Uma chamada de atenção para o uso do capacete é muito importante! Fica a promessa de mais um convívio futuramente.

Grato pela vossa presença
José Rodrigues.

Fotos deste Passeio

Fotos deste Passeio

segunda-feira, 7 de maio de 2012

10º Luso Galaico de Esposende

** No dia 22 de Abril, o Sérgio "Fugas" foi a solo participar na meia maratona de Esposende ( sendo que a solo significa na linguagem do Bike17Eco: já tinha pago a inscrição e não consegui enganar os outros xouriços para me fazer companhia!!!!!).
** Bem, a solo será incorreto pois tinha o estimável apoio moral e logístico da Sónia , somente graças a ela que temos o registo possível deste périplo.
** Desta vez e como forma de teste pessoal, o solitário decidiu dar o seu melhor e lutar contra o relógio até à linha de chegada, daí a estratégia da boa colocação inicial no meio da imensa multidão que comparece em força neste evento magnífico de BTT.

** Depois da sempre espetacular partida na meta, com milhares de betetistas a marcarem presença, o que esperava por ele era o seguinte:
** Tudo corria bem para o Fugas, sempre em bom ritmo e a desfrutar dos trilhos rolantes e algumas zonas técnicas do percurso, até ao momento em que resolveu seguir na parte final um outro grupo de intrépidos betetistas, os quais deram conta alguns bons minutos depois que as fitas que estavam a ser seguidas não eram as certas, resultado final este que deu quase 7 Kms a mais para além do trajeto inicial, com a respetiva penalização no tempo, chegando contudo a bom porto..

** Nesse entretanto, a Sónia ia registando para a posteridade uma fantástica exposição de bicicletas antigas ali presente, quiçá para a posteriori fazer roer de inveja o Manel "Xinateiro" e o Mouteira "Carunchoso", conhecidos apreciadores destas relíquias e também felizes donos de alguns belos exemplares.
** Em resumo, fica aqui a participação do Sérgio neste evento de alto nível, cujos trilhos já foram por nós desfrutados em edições anteriores, sempre apimentado por toda a envolvência da esplendorosa localidade de Esposende.

PS. Já no rescaldo da edição, ficamos a saber qual a causa principal da fatal desatenção que ditou o dito cujo desvio, sendo este momento fatídico devidamente captado pelas perspicazes  e atentas objetivas da organização, facto que divulgamos tendo em conta o óbvio sentido pedagógico:



** Ass. Os Desorganizadores.

Fotos deste Passeio

quarta-feira, 2 de maio de 2012

TESTE FÍSICO FADEUP: Que a Força esteja connosco!

** Dia 5 de Maio, pela tardinha - sim que de manhã, nós somos solidários com o Marco Fortes -  Eu, o Pimenta Saca Saca e o Sérgio Fugas, participaremos num estudo sobre o efeito em atletas amadores das maratonas de BTT, estudo esse realizado pelo CIAFEL - Centro de Investigação em Actividade Física, Saúde e Lazer, sediado na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.
** Se sobrevivermos ao dito cujo e não formos expulsos antes do fim - é muito provável o baralhar dos cálculos científicos e a natural irritação causada pelas frequentes idas e voltas ao bar para o saudável abastecimento de minis, com os respetivos bitaites ao catraiame claro- contamos divulgar os resultados posteriormente aqui no blog, principalmente como pedagogia daquilo que não devem fazer!!!!

PS. Para nossa surpresa de última hora, o nosso estimado amigo e camarada Mouteira "carunchoso" em retiro espiritual nas profundezas da selva amazónica (que a cada dia que passa, devido à meditação e sua túnica ímpar rejuvenesce mas, no entanto, parece que está a mingar...), deixou-nos esta nobre mensagem de incentivo, plena de sabedoria, para a nossa nova missão, que desde já agradecemos!
Sousa "Trepador".